Na foto, a nova PGC Germana Laureano, à sua esquerda o PGC/AL , vice-presidente do CNPGC, Enio Andrade, e o Procurador do MPC/AL, Pedro Barbosa, vice-presidente da AMPCON

Brasília, 18/01/2018 – O Ministério Público de Contas de Pernambuco tem novo Procurador-Geral, tomou posse, nesta terça-feira, (16/01), a advogada recifense, pós-graduada em direito constitucional e administrativo, Germana Galvão Cavalcanti Laureano, para biênio 2018/19. A nova PGC assume em lugar do ex-Procurador-Geral, Cristiano Pimentel, que presidiu o órgão por dois mandatos seguidos.

Germana Laureano iniciou sua trajetória no MPC/PE, em 2009, por concurso público, realizado em 2004. Em 1995, também por concurso público, ingressou no Tribunal de Contas de Pernambuco, no cargo de auxiliar de auditor de contas públicas. Foi procuradora do estado de Alagoas por nove anos e Procuradora-Chefe do estado em Brasília, onde foi chefe do escritório da representação alagoana. A nova PGC/PE é autora do livro “Responsabilidade do Estado por atos legislativos” e diretora nacional da Associação Nacional do Ministério Público de Contas (AMPCON).

Presentes na solenidade o Procurador-Geral do MPC de Alagoas, Ênio Pimenta, representante na posse do Conselho Nacional dos Procuradores-Gerais de Contas; do Procurador do MPC/AL, vice-presidente da Associação Nacional dos Procuradores de Contas (AMPCON), Pedro Barbosa; e do procurador do MPC/AL Gustavo Santos. Também estiveram presentes os procuradores do Ministério Público de Contas de Pernambuco, auditores substitutos, advogados, servidores do Tribunal, além de amigos e familiares da nova PGC/PE.

Conforme revela na entrevista abaixo, a Procuradora-Geral de Contas do MPC/PE espera diminuir distâncias entre o órgão e a sociedade organizada, especialmente com o cidadão comum, para que o MPC/PE possa ser visto como “instrumento de tutela do interesse público”.

CNPGC – Qual sua principal missão como PGC do MPC/PE?

Germana Laureano – A principal missão que tenho hoje como Procuradora-Geral do MPC/PE é aproximar ainda mais a nossa instituição da sociedade civil organizada e do cidadão comum, de modo a ser percebida como instrumento de tutela do interesse público.

CNPGC – Quais os principais desafios para a nova Procuradora-Geral de Contas do MPC/PE?

Germana Laureano – Dar continuidade ao trabalho exitoso desenvolvido pelo meu antecessor, traçando estratégias proativas de fiscalização, em rede, com os demais órgãos inseridos no sistema de controle externo, no combate à corrupção, notadamente no presente ano eleitoral. E ampliar, ainda mais, a visibilidade conquistada pelo MPC/PE, de modo a atingir a parcela da sociedade que mais precisa de amparo da instituição ministerial, fomentando, por fim, o controle social.

CNPGC – Quais os planos da nova PGC/PE para a atuação do MPC/PE?

Germana Laureano – Estruturar ainda mais as parcerias existentes com os demais órgãos de controle, como o próprio TCE/PE, TCU, MPPE, MPF, CGU, CGE, Polícia Federal e Polícia Civil, principalmente neste ano eleitoral.

CNPGC – Em sua opinião, qual a imagem que a população tem do MPC/PE?

Germana Laureano – Uma imagem extremamente positiva, fruto de um trabalho árduo e contínuo que vem sendo desenvolvido, no sentido de atender, de modo célere, as demandas trazidas pelo cidadão, destinatário final de nosso trabalho diário.

Share