Brasília, 05/10/18 – Durante este ano de 2018, o Conselho Nacional de Procuradores-Gerais de Contas (CNPGC) apoiou todas as iniciativas voltadas para levar às eleições o desejo do nosso povo, por um país honesto e por um pleito eleitoral legal e igualitário.

Uma dessas iniciativas é a campanha, apartidária, promovida pela sociedade civil, nomeada “Unidos Contra a Corrupção”, responsável pelas Novas Medidas de Combate à Corrupção, que foi objeto de ampla divulgação, nas páginas deste site, no mês de junho deste ano.

No mês seguinte, o CNPGC divulgou entrevista com a PGC/DF demonstrando como o MP de Contas em todo o país pode e deve atuar em matéria eleitoral, fiscalizando os gastos públicos e o respeito à Lei de Responsabilidade Fiscal, principalmente em matérias que envolvem propaganda governamental; atos que resultem aumento de despesas com pessoal e atos que visem contrair despesas, sem suficiente disponibilidade de caixa, neste exercício. A PGC/DF ressaltou, também, a relevância da Campanha, Unidos Contra a Corrupção, responsável por informar aos cidadãos os nomes dos candidatos, compromissados com as medidas anticorrupção.

Em agosto, o CNPGC, por seu Presidente, celebrou com o Ministério Público Eleitoral, importante acordo, visando à troca mútua de cooperação, a fim de barrar os candidatos fichas sujas das eleições, aqueles que possuem contas julgadas irregulares, por exemplo. O ato foi bem recebido e gerou bons resultados, multiplicando-se em todo o país as notícias de boas práticas, o que foi postado aqui no mês de setembro.

Na nossa página, divulgamos, ainda, ações dos membros do MP de Contas brasileiro, a exemplo do Pará e de Tocantins, buscando o compromisso de candidatos em matérias tão essenciais, como a educação pública para todos.

Na data de hoje, às vésperas do maior encontro cívico que todos nós temos com o nosso país, o CNPGC orgulha-se de ter atuado e de fazer parte desta história, em que Unidos contra a Corrupção queremos demonstrar aos candidatos que nós merecemos um país livre dessa pecha; que nós não queremos, não achamos normal e não aceitamos políticos desonestos, responsáveis por ceifar vidas, além de matarem o sonho, a esperança e a autoestima da nação brasileira. Muito ao contrário, acreditamos que temos direito a. um país do qual nos orgulhemos; a um país em que os orçamentos sejam equilibrados, bem fiscalizados e os recursos públicos sejam utilizados, verdadeiramente, em prol da sociedade.

Agora é a hora e a vez de cada um de nós valorizarmos o nosso voto e elegermos os melhores candidatos para o nosso país e para os nossos Estados.
Vote consciente!

O futuro de todos nós está em nossas próprias mãos!

Share