CNPGC apoia a realização da II Caminhada do Ministério Público Contra a Corrupção

Evento realizado pelos órgãos ministeriais do Estado do Pará reuniu cerca de 1 mil pessoas e arrecadou duas toneladas de alimentos

O Conselho Nacional de Procuradores-Gerais de Contas (CNPGC) foi um dos incentivadores da II Caminhada do Ministério Público Contra a Corrupção. O evento aconteceu no último dia 15, Domingo, em Belém (PA), no Parque Estadual do Utinga, com a participação de cerca de 1 mil pessoas e a arrecadação de 2 (duas) toneladas de alimentos.

A iniciativa é resultado da união entre os diversos órgãos que compõem o Ministério Público, quais sejam, o Ministério Público de Contas do Estado do Pará (MPC‑PA), o Ministério Público de Contas dos Municípios do Estado do Pará, o Ministério Público do Estado (MPPA), o Ministério Público Federal (MPF) e o Ministério Público do Trabalho (MPT).

Com o objetivo de promover a aproximação e a integração do MP com a sociedade, a caminhada lembra o Dia Internacional Contra a Corrupção (9 de dezembro) e celebra o Dia Nacional do Ministério Público, comemorado no dia 14 de dezembro. Neste ano, o evento também contou com ações que incentivaram a participação de Pessoas com Deficiência – PCD’s.

“A questão da inclusão é muito importante e as pessoas precisam conhecer mais e melhor sobre o tema. Hoje, as pessoas estão tendo essa oportunidade neste evento – espero que aconteça mais vezes e com mais apoio, pois todos – sem exclusão – precisam lembrar dos problemas gerados pela corrupção”. Foi assim que Júnior Figueiredo, que é cadeirante, avaliou a iniciativa.

Segundo a procuradora-geral do Ministério Público de Contas do Estado do Pará (MPC-PA), Silaine Vendramin, “a caminhada foi feita com o intuito de unir a sociedade para refletir sobre este tema tão importante que é o combate à corrupção. O Brasil historicamente é um país com alto índice de escândalos sobre fraudes e desvios de verbas públicas. Essa corrupção mata silenciosamente milhares de pessoas com desvios nas áreas de educação, saúde e segurança, mas podemos e devemos mudar essa história”, afirmou.

Ela lembra dos avanços do Ministério Público, dentre eles, “a Lava Jato, que devolveu aos cofres públicos milhões desviados e colocou na cadeia pessoas que nunca pensaríamos que pudessem ser pressas. Devolvemos aos brasileiros a sensação de justiça”, ressaltou.

A presidente do Conselho Nacional de Procuradores-Gerais de Contas, Dra. Elke Andrade Soares de Moura, também comenta sobre os avanços do MP no combate à corrupção e elogiou o evento, que, segundo ela, “reafirma propósitos basilares da sua gestão à frente do CNPGC, quais sejam, o necessário ‘empoderamento’ da sociedade como imprescindível agente de controle das contas públicas, o fortalecimento do controle social e o estímulo do trabalho conjunto entre as instituições (atuação em rede)”.

De acordo com o procurador da República, Paulo Santiago, “os órgãos que têm como dever funcional o combate à corrupção, precisam promover iniciativas como essa para conscientizar o cidadão e alertá-lo de que ele também é vítima da corrupção e pode contribuir de alguma forma, por exemplo, denunciando”, destacou.

Para o promotor Aldo Saife, chefe de gabinete da Procuradoria-Geral de Justiça, na ocasião representando o procurador-geral de Justiça Gilberto Valente, o evento “mostra para o cidadão a necessidade de todas as unidades do Ministério Público combaterem a corrupção”.

A caminhada contou com o apoio de diversas instituições públicas e associações: AMPCON, AMPEP, ANPR, Atricon, Audicon, AGE‑PA, Defensoria Pública do Estado do Pará, Ideflor-bio, Tribunal de Contas do Estado do Pará (TCE-PA) e Tribunal de Contas dos Municípios do Estado do Pará (TCM-PA).

Doações

Este ano, os participantes da II Caminhada do Ministério Público Contra a Corrupção confirmaram a participação com a doação de 3kg de alimentos não perecíveis, que foram doados para cinco instituições de assistência social, as quais foram indicadas pelos órgãos ministeriais.

As instituições que receberam as doações foram: Comunidade Nova Zelândia, Casa do Menino Jesus, Creche Casa Lar Cordeirinho de Deus, Abrigo Especial Calabriano e Lar de Maria.

Texto: Rosana Magno (Ascom/MPC-PA)